01 / 02 / 2022 Fiv - Acelerador de Melhoramento Genético

O que é a FIV

Também conhecida por produção in vitro de embriões, a Fertilização in Vitro (FIV) é uma ferramenta de multiplicação animal. No Brasil essa biotecnologia passou a ser utilizada no início dos anos 1990, por dois grandes grupos: o do PhD Dr. Enoch Borges de Oliveira Filho, em Jaboticabal e outro com o pesquisador Assis Roberto de Bem, da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Este foi o início da fecundação in vitro no Brasil.

Cenário Brasil

Em 1998 a FIV tornou-se comercial no país. De acordo com o Médico Veterinário da Bio Reprodução Animal, Maurício Peixer, prestador de serviço da Agro Antonio Balbino, este foi o momento em que, de fato, a FIV começou a apresentar resultados, pois, até então, a tecnologia utilizada era a transferência de embriões clássica.

Com a FIV, toda vaca que estava no campo pôde ser aspirada. Isso proporcionou que a fecundação in vitro de embriões ganhasse um grande impulso. "Principalmente por facilitar os trabalhos nas fazendas", explica Maurício.

Por volta dos anos 2000, as primeiras empresas especializadas surgiram no Brasil e a FIV cresceu ano a ano. Hoje o país transfere por volta de 450 mil embriões/ano, de acordo com dados da SBPE (Sociedade Brasileira de Tecnologias de Embriões).

Segundo Maurício, especula-se que muitos embriões produzidos no Brasil, porém, não são comunicados. "Acredita-se que o Brasil, na realidade, produza algo em torno de 600 mil embriões por ano. É o grande líder no mundo na produção in vitro de embriões. Os números oficiais são subnotificados".

Cenário Fazenda

Maurício atesta que para os trabalhos da Agro Antonio Balbino, a FIV veio para facilitar a multiplicação de animais de boa qualidade, geneticamente superiores. Além disso, o processo é simples de implementar. "Uma equipe faz uma visita na fazenda, verifica se a propriedade possui, ou não, condições em ser trabalhada", explica. O veterinário reforça que por "condições" entenda-se o "tripé": sanidade, nutrição e manejo (que é o bem-estar do animal). "Uma fêmea que não se encaixa neste tripé, certamente não produzirá bons embriões, não terá uma boa gestação nem uma boa inseminação".

Na Agro Antonio Balbino, os animais são avaliados constantemente, assim como se efetua práticas de manejo que facilitam o rebanho entrar no curral. Os animais são selecionados por índole. "Tudo isso agrega na genética produzida pela fazenda, um animal de boa qualidade, que tenha um conceito genético, não só de produção, mas de adaptabilidade, de conversão, de peso e outros fatores geneticamente dependentes", avalia o veterinário.

Como a FIV é feita e como funciona em bovinos

Maurício explica que o trabalho de FIV na Agro Antonio Balbino acontece com uma equipe multidisciplinar que produz os embriões. A equipe coleta os ovócitos das doadoras através de ultrassonografia e essas doadoras, que estão a campo, não precisam de nenhum tipo de tratamento anterior, o que facilita muito o trabalho de multiplicação.

"Você pega 10% das melhores vacas, independentes se elas estão ou não gestantes, passa por um crivo de análises para avaliar se serão boas doadoras e nesse momento elas entram no curral", detalha Maurício.

Depois da chegada dos ovócitos ao laboratório, é realizada a fecundação (fertilização). Logo após se produz o cultivo por mais sete dias. Uma semana depois os embriões voltam para a fazenda e são transferidos para as receptoras previamente preparadas. "Quando falamos de fertilização in vitro na fazenda, esse é um processo muito simples de ser praticado. Você deve ter uma contenção, bons animais, manejo correto e uma boa nutrição", assegura Maurício.

O processo é simples e acessível a todo e qualquer produtor. A Agro Antonio Balbino desenvolve um programa de difusão de genética. "Esses embriões que se produzem em laboratórios, podem ser transferidos a fresco, ou congelados. Uma vez congelados o proprietário é quem vai determinar o dia de descongelar e colocar em uma receptora", explica o veterinário.

Isso tudo faz com que a versatilidade desse programa de FIV, seja de fácil uso a todo e qualquer produtor que tenha vaca. Mesmo em fazendas não especializadas a Agro Antonio Balbino pode chegar até elas e fornecer uma genética que já vem de um longo processo de seleção, não só do ponto de vista de ganho em peso, como de eficiência alimentar, habilidade materna, bem-estar animal e adaptabilidade a regiões adversas.

Clique aqui e acesse gratuitamente nosso e-book. Nele você encontrará mais informações sobre melhoramento genético.