07 / 11 / 2021 O processo de seleção, acasalamentos dirigidos e avaliações

Referência no Oeste Baiano na pecuária de corte e seletiva da raça Nelore, a Agro Antônio Balbino, em seus 25 anos de atuação, sempre buscou ser um diferencial na pecuária brasileira.

Um dos grandes compromissos do complexo de fazendas, geridas pelo engenheiro agrônomo, especializado em zootecnia, Antônio Balbino, é na área técnica. Com busca constante em estar atualizado em relação ao que acontece no Brasil, desde cultivares de pastagem, até possibilidades genéticas, essa dedicação tem um único objetivo: QUALIDADE.

Além de participar dos programas de melhoramento genético, como a Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP) e Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), a Agro Antônio Balbino também busca conhecimento técnico em outras referências, como a BrasilcomZ, uma empresa de consultoria em melhoramento, que atua na gestão genética e soluções técnico-comerciais em bovinos, para implementar avaliações visuais do processo de seleção com o conceito BoicomBula.

Para manter um equilíbrio entre fenótipo e avaliações genéticas, provas de desempenho a pasto são efetuadas na Agro Antônio Balbino regularmente, para avaliar os reprodutores que são comercializados. Este é um processo de seleção eficaz, que se faz necessário para uma metodologia e uma avaliação de desempenho fenotípico.

Desde 2014 a Agro Antônio Balbino, auxiliado pelo trabalho de consultoria da BrasilcomZ, efetua no processo de seleção e avaliação um trabalho mais completo na desmama, que objetiva ranquear os animais do plantel em sua respectiva safra.

Para o rebanho Agro Antônio Balbino que será comercializado, a qualidade que esses animais devem ter começa nos acasalamentos dirigidos, onde inicialmente são realizados estudos minuciosos dos touros com sêmen disponível, que atendam os anseios do Nelore Bino.

Um dos desafios é produzir no Oeste Baiano um animal com equilíbrio nas características de desempenho, de biotipo, de precocidade e reprodutivas, para isso, equilíbrio é a palavra chave.



A importância do acasalamento dirigido

Para uma maior assertividade em colher os resultados pretendidos, o acasalamento dirigido deve ter atenção especial para as características adaptativas e de interesse econômico, com o objetivo em obter um animal mais interessante para os clientes do Nelore BINO, a fim de que estes tenham mais resultados e, com isso, maior lucratividade.

Importante ainda é ter um rebanho consistente para transmitir a homogeneidade em caracterização racial e conformação frigorífica. O rebanho da Agro Antônio Balbino possui 25 anos de seleção de um nelore que já nasceu PO e baiano – adaptado ao clima do nordeste.

A Agropecuária Antônio Balbino leva seu trabalho de melhoramento genético tão a sério, que ao formatar um leilão, por exemplo, o rebanho que seguirá para o evento passa por mais um crivo de descarte, onde apenas os animais que se enquadram no mínimo de morfologia e no mínimo de avaliação genética exigidos pela marca serão qualificados para serem vendidos como uma semente melhoradora, com o padrão de qualidade do Nelore BINO.



Os desafios para obter animais superiores

O Sistema de Avaliação Morfológica (Sam), trabalhado no rebanho da Agropecuária Antônio Balbino, serve para gerar dados preciosos para o padrão de seleção a desmama e resulta em uma avaliação mais completa.

Os dados a desmama, obtidos pelo Sam e a prova ao soberano, servem para classificar os animais em elite, superior e regular para cada uma das características avaliadas e para o índice fenotípico final.

Posteriormente é trabalhado o índice genético, customizado pela BrasilcomZ, que concilia um índice fenotípico, com um índice genético do programa que a Agro Antônio Balbino trabalha.

O trabalho de seleção é feito de maneira objetiva. Consolida, estandardiza e define um índice de seleção que contempla avaliações morfológicas pela metodologia Epmuras nos índices fenotípicos, além das avaliações genéticas e genômicas o que os profissionais consideram importante para se ter um diferencial produtivo no ambiente do oeste da Bahia e que se encaixa na grande realidade da pecuária brasileira.

Ao longo dos anos, em que os trabalhos são focados e realizados em sintonia para o mesmo objetivo, é que os animais identificados a partir dos critérios de seleção, têm desempenhado muito bem.

Um exemplo real disso são os touros Vílei do BINO e Xibel do BINO, que foram identificados por esse critério no sistema de produção da Bahia e agora a produção desses touros se destaca em um universo comparativo aos melhores touros do Brasil.

Esses dois touros reprodutores são exemplos de destaque, mas o objetivo principal da empresa é melhorar em média toda a safra. Por isso, há um acompanhamento, leilão a leilão, em que se observa que a oferta da safra tem aumentado em aproveitamento, com menos descartes e mais qualidade. Isso mostra mais consistência e qualidade média dos animais.

Clique aqui e acesse gratuitamente nosso e-book. Nele você encontrará mais informações sobre o assunto.